Wednesday, April 23, 2008

Novo começo…

Há umas semanas que ando a namorar uma nova casita! A porta 65 estar fechada, eu arrisco a alugar outra morada sem apoios do Estado… Só espero não andar com a corda ao pescoço todos os meses.

Creio que não. Refiro-me aqui a uma nova morada virtual… Depois de quase dois anos a viver aqui, vou mudar-me.

A nova morada, não é grande! Mas tem a vantagem de estar “novinha em folha”, pelo menos para mim… E cheinha de novidades! Manter-se-à, no entanto, o estilo e a forma desta morada, até porque por detrás do computador e por detrás dos óculos são os mesmos olhos que veêm o mundo.

Espero encontrar todos os que por aqui passam na minha nova estadia.
Aqui fica a morada:

http://porummundomelhor.blogs.sapo.pt.
 
P.S. Nesta nova morada há sempre estacionamento à porta! E para os viciados eu deixo-vos fumar na varanda. Nada é de bagunça, senão tenho os vizinhos à perna…

Posted by barbcunha in 22:42:02 | Permalink | Comments (4)

Tuesday, April 22, 2008

terra1.jpg picture by zoobizarro
Pescada aqui.

A imagem mais sugestiva que encontrei para vivenciar este dia e os próximos 365 no que ao planeta terra se refere.
Posted by barbcunha in 23:54:00 | Permalink | Comments (4)

Comemora-se hoje o Dia Mundial da Terra.

É ridículo que tendo o ano 365 dias [este ano até há mais 1] apenas seja dedicado á nossa casa comum um dia por ano por mero descargo de consciência. O que, desde logo, realça o pouco apreço em que temos o planeta Terra, em que vivemos.

Muitos dos problemas com que nos confrontamos resultam da falta de espírito colectivo que, pressupostamente, deveria ser uma consequência directa do desenvolvimento.
No entanto não é assim! Ao contrário, a sociedade globalizada de que somos parte integrante estimula e instiga ao liberalismo desenfreado e ao egoísmo sem limites.

Temos nós, terráquios, um absoluto desrespeito pela nossa e pelas gerações futuras?!

Num dia como o de hoje convidam-se ambientalistas, climatologistas, especialistas em desenvolvimento sustentável para participar no mais variado tipo de iniciativas. No entanto, amanhã é outro dia… Dia esse em que desrespeitamos o meio ambiente em que vivemos desde o amanhecer até ao anoitecer!

A minha geração é filha da liberdade. Para muitos a liberdade traduz-se em desresponsabilidade. Se ao menos soubessem o que é a liberdade! Teriam um maior apreço por esse valor e responsabilizar-se-íam por transformar o mundo livre em que vivemos, num mundo responsável ou melhor co-responsável.


Posted by barbcunha in 23:50:41 | Permalink | Comments (1) »

Monday, April 21, 2008

Tarde chuvosa…

O que gosto mesmo de fazer em tardes chuvosas como a de hoje é passear pelas ruas desertas da cidade… Hoje especialmente esse passeio fez-me bem. Uma mente empreendedora como a minha está mesmo a ser (des)aproveitada!

O passeio de hoje foi inicialmente motivado por uma falha da tecnologia. Carroço estacionado e vou a correr até ao MB. O malogrado cartão tempos a tempos insiste em não funcionar. [Que nervos! Quer uma pessoa carregar o móvel e nada!]

O que fazer a seguir? Voltar ao carro e proferir impropérios contra tão expedita tecnologia. Qual quê! Hoje é domingo, dia para descontrair… Então? Ir ao carro buscar o chapéu de chuva. Qual quê! Para alguma coisa há-de servir o carapuço da minha velhinha gabardine azulinha como o céu em dias como o de hoje!

A solução! Procurar uma payshop [até estrangeirismos usamos para nos auto-(des)motivarmos de proceder a tais pagamentos].

O problema. Descer ou subir a rua… Como gosto de desafios e as nossas maravilhosas cidades são acidentalmente bastante favoráveis, toca a trepar a rua!

Onde haverá uma dessas marvilhosas lojas? Papelarias. Alguns estaminés mais ou menos prafrentex.

NADA. Rien. Tudo fechado.

Passear nas ruas desertas da cidade é maravilhoso. 
Pouca carroçaria.
Poucos viventes. 
Muita chuivinha.

Eis senão quando… Depois do primeiro quarto de hora a penantes. Começo a aperceber-me dessa realidade. As únicas lojas abertas a um domingo à tarde são lojas ou bazares chineses! Quais portuguezinhos formigueiros trabalhadores. O que se vê são semblantes sempre com aquele ar atarefado, mas ao mesmo tempo super despreocupado. O verdadeiro trabalho domingueiro está mesmo nas mãos dessas formiguinhas trabalhadeiras que abandonado a grande colónia mãe, mais não sabem do que trabalhar de sol a sol.

Grandissima ideia depois surgiu. Sendo que quase todos ou pelo menos uma maioria dessas lojinhas têm um computador ligado à internet [longas conversas se travam via msn - outra maravilha proporcionada pela tecnologia - entre as formiguinhas trabalhadoras deslocalizadas e as da colónia mãe]que tal começarem a carregar telemóveis via net aos domingos à tarde. Ou até mesmo aos dias de semana depois das 7 da tarde?

A alternativa para as cigarritas portuguesas é recorrerem a esses grandissimos centros usurpadores de capital. Tal implica 1. transporte próprio [sendo grandes esses centros ficam normalmente nos arrabaldes!]; 2. um estacionamente para aí e no mínimo no -4, outra tortura para decorar a cor, a letra e o número onde a carroça [perdão, topo de gama] ficou estacionada; 3. carregar com a tralhada toda do rebento mais novo e controlar os ataques obiquelenses do mais velho; 4. subir ao (no mínimo) 0 – o que se pode tornar mais uma pequena tortura dados os tempos de espera dessa maravilha da técnica que são os elevadores; 5. lutar herculeamente a cada passo para não atropelar ninguém e não ser passado a ferro ou por um bruta-montes com a mania que é segurança da disco mais in da cidade ou pelo penteado lacado da tiazona mais tia das redondezas; 6. Zigezaguear por entre as gentes e encontrar a famosa …mobile, explicar ao (sempre) expedito funcionário/a que apenas se quer carregar o mínimo que o nosso tarifário permite, isto se não tivermos o azar de apanhar um vendedor nato que nos mostra um sem número de telemóveis que dão para tudo até para fazer chamadas, não sendo sensível ao nosso argumento que primeiro – já temos um telemóvel, segundo – não estamos interessados em mudar; 7. Por fim e dependendo da educação dos pequenos rebentos ainda o portuga tem de ir ao último piso adoçar o bico aos ditos! 8. Chegar a casa depois de umas boas 2 horas e pensas: UFA! Finalmente carreguei o telemóvel.  

Tudo isto para dizer que gostei de andar à chuva. Molhei-me. Voltei para casa com o telemóvel com o mesmo saldo. Ainda fiz a tal chamada e curioso que ainda tenho saldo… Basicamente tanto alarido para nada.

Mas vou ver se durante o sono realizo esta ideia para depois a arquivas na pasta das “ideias brilhantes, quiça realizáveis.” 

P.S. desculpem as palavras fora do dicionário! Influências desse grande escritor que me ocupa a cabeceira – Mia Couto. 

Posted by barbcunha in 00:23:08 | Permalink | Comments (3)

Saturday, April 19, 2008

Que rolem cabeças… Perdão cadeiras!

O homem do norte que só saía à bomba afinal foi bem mais fácil de convencer do que aquilo que parecia! Revelou-se no último meio ano um líder frouxo que procurou sempre fazer-se rodear da sua turma sem se abrir ao partido quanto mais ao país… Fazendo discursos de ram-ram de chuva não molha… Alguns a roçar os pincaros do mais baixo populismo!

Pediu ajuda é certo! A um líder carismático [:o)], mas deu-se mal pois aquele de líder nada tem… tem mais de bobo da corte!

Agoro a ver vamos.
Eu já marquei lugar na primeira fila, não quero perder pitadinha…

Posted by barbcunha in 21:53:18 | Permalink | Comments (3)

Pior a emenda que o soneto

Numa altura em que os stocks de cereais a nível mundial diminuem drasticamente – provocando um aumento nos preços de bens alimentares -, os programas de auxilio internacional lutam desesperadamente com falta de dinheiro e meios e milhões enfrentam o problema da fome é no mínimo um contracenso os países mais ricos continuarem a insistir na utilização de biocombustíveis e utilizar cereais para a produção de combustível.

O real efeito será que milhões de pessoas – nos países mais pobres – irão enfrentar a fome nos próximos anos. Josette Sheeran, director executivo do UN World Food Programme afirma: «We are seeing food in many places in the world priced at fuel levels, being bought by energy markets for biofuels.»

Nada como continuarmos de olhos cerrados para ver o que por esse mundo fora vamos destruíndo… com as nossas decisões hercúleas de contribuir para um mundo melhor, mais justo e fraterno…

BALELAS é o que me apraz dizer…

Posted by barbcunha in 20:34:33 | Permalink | Comments (3)

Tuesday, April 15, 2008

Pedido de desculpas e de compreensão

Quando o telefone toca…
Corremos a atender! Ou no meu caso dirijo-me vagarosamente para o telefone…

[tecla verde]

“Então rapariga, já morreste?”

Eu: Ahhhhhhh?

“Desde dia 6 de Abril que não apareces no blog!”

Eu: Pois tens razão… (E por aí fora)

É bom quando se lembram de nós!
Um blog é um pouco de nós mesmos…
Põe-nos em contacto através das palavras com os nossos amigos, com os nossos conhecidos, com desconhecidos [apesar de sempre terem insistido comigo desde miúda para não falar com estranhos!]

A pessoa que me ligou: “Então abandonas assim a luta?” 

Ultimamente as minhas lutas têm sido outras… A luta pela sobrevivência nesta nossa sociedadezinha mesquinha e hipócrita é uma delas e, diga-se, a principal razão para não ter escrito!

Matéria não me falta, basta abrir os olhos e olhar à volta que há pelo menos uns 100 assuntos diferentes que poderiam ser matéria de um post neste blog…

Ela insiste: “Mas quê! Casaste e não dizes nada ao pessoal para andares assim tão desaparecida?”

Um grande LOL! Claro que não… Eu casada? Desaparecida?
 
Bom tenho de facto andado a pensar casar com o trabalho! Mas creio que não será um bom companheiro para passar o resto da vida… Também quero um dia chegar à reforma… E como o casamento é para toda a vida… incluindo a que diz respeito à reforma, não me parece uma boa solução!

Há momentos na vida em que nos sentimos engolidos por nós mesmos! Pelo nosso mundo… Esquecendo-nos que há mundo à volta! Que não somos o centro do mundo…

Perdoem-me por isso! Hei-de regressar aqui… a breve trecho, espero…

Novas e velhas lutas nos aguardam num futuro que promete ser não muito diferente do passado. Para que esse futuro seja diferente daquele passado precisa dos nossos braços, mas acima de tudo das nossas mentes, da nossa massa cinzenta!

Porra não somos escravos do trabalho! [Esta piada é para mim mesma! A ver se me convenço dela e regresso à luta!]

P.S. OBRIGADA pela chamada de atenção. E desde já OBRIGADA pela compreensão…
Já começo a ouvir ao longe o comboio que me transportará para o futuro…

Posted by barbcunha in 22:08:31 | Permalink | Comments (3)

Sunday, April 6, 2008

Basta!

Para que o mundo se transforme num mundo melhor todos concordamos que muito há a fazer!
Não podendo mudar tudo do mundo num único instante… poderemos dar pequenos passos que nos levam a tornar o mundo melhor para as gerações futuras.

Para isso é preciso pôr um ponto final definitivo nos sites de pornografia infantil.

Acendam uma vela virtual para tornar o mundo das crianças num mundo melhor.

Posted by barbcunha in 23:46:49 | Permalink | Comments (3)

Monday, March 31, 2008

Sudão – a inacção chinesa

Posted by barbcunha in 20:39:35 | Permalink | Comments (3)

Mais um final de mês!

Estamos hoje no último dia de mais um mês de um ano e de um século que os nossos bisavós jamais ousaram pensar..

Hoje é dia 31 de um Março que mais parece Dezembro, do século XXI que mais parece o século XX, ali prós lados da década de 30!

Eis o actual cenário:
Crise no imobiliário dos EUA,
Crise na banca (apesar de os bancos continuarem a apresentar lucros de milhões e milhões – mas se eles dizem que estão em crise vamos acreditar que sim!),
Spreeds cada vez mais elevados, 
A famosa Euribor a 6 meses cada vez mais assustadora…

Este cenário hoje fez-me lembrar uma coisa que já há muito não me ocorria… Quantas e quantas vezes pegamos nós no nosso MB o colocamos dentro da caixinha mágica, marcamos o código, “consultas”, “consulta de saldo”… AGUARDE UM MOMENTO POR FAVOR, enquanto somos bombardeados com mais uma publicidade mais ou menos enganosa a máquina produz o nosso talaozinho com o tão querido dinheirinho…

Olhamos para o talão e analisamos o resto do mês para que possamos gerir o nosso magro salário (pelo menos a generalidade dos portugueses, excepção feita aos administradores do BCP e aos da EPUL e outros tantos chefões bem pagos para pagarem ainda menos aos seus subordinados).

Lá para o 15 de cada mês (aqueles que já têm recebido) olham para o talão e fazem aquela cara de quem diz: “m***, só estou a meio do mês e já se foi mais de metade do salário”; outros pensarão: “o c*** do patrão (que também pode ser patrona – perdão patroa) deve andar a gozar comigo, tenho de falar com o Sr Antunes para ver se aperta com o homem (ou mulher se a estrebaria for gerida por unhinhas de gel à maneira!)”…

…Bom mas não era isto que queria escrever e com tanta coisa acabei por me esquecer do raciocinio inicial! No entanto, o que realmente interessa aqui saber é: quando olhamos para o talão ficamos todos contentes porque o nosso dinheiro ainda lá está (seja ele pouco ou muito)… O que raramente pensamos é que o que o talão dá-nos é a informação de que temos dinheiro… É uma mera informação, não uma realidade de facto…

[homem-negocios-escutar-batida-coracao-~-cwa0010.jpg]


Agora lembrei-me do outro há uns meses atrás quando fui ao banco levantar uns trocos da minha conta a prazo…
“A senhora tem a certeza que quer levantar esse dinheiro?!”
Ponto primeiro: Senhora? Eu… Só podes tar a gozar [só pensei isto, claro!]
Ponto segundo: Sim tenho a certeza. 
E o homenzito de novo: “Mas tem mesmo a certeza?”
Ponto terceiro: CLARO QUE TENHO! Se não precisasse dele não viria aqui perder uns bons 45 minutos do meu tempo. [ponto final parágrafo]

Claro que para o banco é mau quando nós decidimos gerir o nosso próprio dinheiro…
Nós deixa-mo-lo no banco e pensamos que ele fica ali paradinho a ganhar bolor, como acontecia aos nossos avós que o guardavam debaixo do colchão… Mas entre nós o deixarmos lá e o irmos recuperar ele já deu duas ou três voltas ao mundo… Já engordou a conta bancária de um qualquer farmacêutico suiço, já comprou armas aos EUA para um qualquer regime africano, já pagou a casa à família McCains no Canadá, já ajudou a criar um belo negócio na Índia através do microcrédito, já matou a fome – ainda que por um só dia – a uma criança… Etc, etc…
Posted by barbcunha in 16:37:57 | Permalink | Comments (3)